As plantas carnívoras, como todas as plantas, obtêm a sua energia através da fotossíntese, mas este grupo de plantas desenvolveu mecanismos especiais para suprir as suas outras necessidades nutricionais: Tornaram-se plantas caçadoras!

Como é que as plantas carnívoras caçam?

As plantas carnívoras têm a capacidade de atrair, capturar e digerir presas, que podem ser insetos, aracnídeos, crustáceos e até pequenos vertebrados. Para atrair, capturar e digerir alimentos, as plantas carnívoras têm uma série de adaptações, como cores brilhantes, aromas atraentes, néctares e, o mais importante, adaptações em suas folhas, transformando-as em armadilhas.

De acordo com o gênero da planta carnívora, as "folhas armadilha" são diferentes e cada tipo de armadilha tem um mecanismo de ação diferente e especializado. Existem mecanismos de armadilhagem activos e passivos, os activos caracterizam-se por movimentos rápidos das armadilhas que são induzidos pelo contacto com a presa, neste caso, a armadilha fecha e prende a presa dentro de casa. Por outro lado, as armadilhas passivas são caracterizadas pela queda da presa ou sistemas adesivos com a presença de mucilagens que imobilizam a presa.

Tipos de armadilhas


Pinças ou "bocas"

Este tipo de armadilha é uma das mais conhecidas e é típica da espécie Dionaea muscipula, conhecida como armadilha das Dioneas. É uma armadilha activa, muito atraente para os insectos devido às suas cores, mas tem tricomas sensíveis no seu interior que detectam a presença da presa ao mínimo contacto e em questão de segundos fecham, prendendo a presa no seu interior.

Existem diferentes variedades de Dionaea muscipula, cada variedade tem cores e formatos diferentes, mas todas têm o mesmo tipo de armadilha.


Armadilhas de caída ou "Jarros"

Neste tipo de armadilha a presa é atraída pelo cheiro doce do néctar que a planta produz nas bordas e dentro dos jarros, quando a presa chega à planta, tem o impulso de entrar no jarro em busca do néctar, mas como os jarros têm paredes extremamente lisas, a presa cai para fora e graças aos pêlos virados para baixo das paredes da armadilha, a presa não consegue sair. Além disso, no fundo do jarro há um líquido espesso onde a presa acabará por ser digerida.

As armadilhas de queda são características das Sarracenias e dos Nepenthes. Há armadilhas de caída com ou sem tampa.


Armadilhas adesivas

Este tipo de armadilha é também passivo, é o tipo de armadilha dos Droseras. Estas plantas carnívoras têm folhas de armadilha com capilares especializados que secretam a mucilagem (gosma) que prende a presa. À primeira vista, este tipo de armadilha pode até parecer mais "simples" do que as outras, mas é exactamente o oposto.

Os capilares destas plantas atraem as presas e à mínima vibração começam a secretar a mucilagem e quanto mais a presa se move para tentar escapar, mais substância a planta segrega. Além da mucilagem, algumas espécies do gênero Drosera são capazes de movimentos de constrição, enrolar e espremer a presa. 

Existem também algumas espécies de plantas carnívoras com sistema de captura por sucção, mas este tipo de mecanismo é normalmente encontrado em espécies aquáticas, como a Utricularia vulgaris que se especializou na captura de larvas de mosquito, nematódeos, etc.

Como é que eles digerem as suas presas?

Uma vez capturada a presa, as armadilhas liberam enzimas que fazem a digestão e tiram partido dos nutrientes da presa. Para além das suas próprias enzimas digestivas, também podem tirar partido das bactérias simbiontes presentes no interior das armadilhas.

Quer aprender a cuidar de uma planta carnívora? Dê uma olhada em nosso Guia de Cuidados!