Como identificar um produto cruelty free?

Para identificar um produto como livre de crueldade animal, devemos procurar as marcas de identificação na embalagem que indicam que o produto não foi testado em animais. Existem principalmente 3 logos que indicam que um produto não foi testado em animais:

Existe alguma diferença entre os 3 logos?

A única diferença é que cada logótipo pertence a uma organização diferente. No primeiro caso, o selo é endossado pela associação Leaping Bunny. O segundo logótipo é atribuído pela PETA, enquanto o terceiro é da organização sem fins lucrativos Choose Cruelty Free.

Todo o produto cruelty free é vegan?

Não necessariamente, pois um produto com um selo cruelty free pode conter ingredientes de origem animal, como, por exemplo, cera de abelhas, derivados do leite, etc. Pelo contrário, qualquer produto vegan é também um produto cruelty free.


Como é regulamentado o ensaio clínico de cosméticos?

Todos os assuntos relacionados com formulações, testes, fabrico e distribuição são regulados pelo REGULAMENTO (CE) N.º 1223/2009 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 30 de Novembro de 2009 sobre produtos cosméticos.

Em suma, na Europa este regulamento proíbe "a colocação no mercado de produtos cosméticos cuja formulação final tenha sido testada em animais (...) e a colocação no mercado de produtos cosméticos que contenham ingredientes ou combinações de ingredientes que tenham sido testados em animais". Também proíbe "a realização de testes em animais sobre produtos cosméticos acabados e (...) a realização de testes em animais sobre ingredientes ou combinações de ingredientes".

O prazo para esta lei ser plenamente aplicada expirou em 2013, e desde então tem sido completamente proibido testar ingredientes e produtos acabados em animais. Também é proibido comercializar produtos cuja fórmula ou ingredientes tenham sido o resultado de testes em animais.

É por isso que, desde 2013, todos os produtos estão de facto "livres de crueldade", quer tenham ou não um selo de acreditação na Europa. No entanto, alguns fabricantes decidem pagar para utilizar um destes logos às empresas que os inventaram, principalmente porque consideram que melhora a sua imagem de marca.