Conheça a mosca-branca

A mosca branca pertence à família dos aleuródidos e já foram encontradas mais de 1500 espécies. Os adultos medem de 1 a 1,5 mm, o seu corpo é amarelado-pálido e suas duas asas são brancas. Têm um aparelho bucal picotador-sugador versátil que lhes permite alimentar-se de mais de 500 espécies de plantas diferentes.


As fêmeas vivem algo mais que os machos: de 14,5 a 55,3, sendo que os machos de 6,4 até 34.

Na reprodução, destacamos um complexo ritual de acasalamento que pode durar vários minutos. As fêmeas fecundadas dão lugar à uma geração mixta, sendo que as não fecundadas dão lugar somente à fêmeas.

No seu desenvolvimento, a mosca branca passa por 4 estados de ninfa diferentes, e só o primeiro destes é móvel.

As moscas brancas, como o resto de insectos sugadores, têm por costume estar no reverso das folhas pois alí, a porosidade é maior (no reverso da folha estão os estomas e é onde se realiza o intercâmbio de gases) e é mais acessível para seu aparelho bucal sugador. Em contrapartida, a parte superior é impermeável e por tanto inacessível para a mosca branca.

Além de olhar o reverso das folhas para ver si têmos um ataque de mosca branca, podemos também agitar as plantas de tal forma que todas elas revolvam caso estejam aí.

Por tanto, para vigiar a possível presença de mosca branca na nossa horta, estaremos alertas às folhas e agitaremos um pouco as plantas para prevenir qualquer invasão.

Como a mosca branca afetas as minhas plantas?

A mosca branca suga e se alimenta da seiva das plantas, roubando seus nutrientes e água, podendo deixá-las muito fraccas. Mas o principal dano causado têm é o melaço que segregam para subornar as formigas, e este caldo de cultivo de vários fungos e bactérias podem trazer serios problemas à nossa planta, inclusive matá-la.

Por que a mosca branca implicou com a minha horta?

Se há mosca-branca em excesso, é o momento de se perguntar: o que ando a fazer de errado? Provavelmente estaremos a pôr em prática algúm método equívoco, como uma rega excessiva ou em falta, uma baixa biodiversidade (monocultivos)... O caso é que a mosca branca é um biomarcador e um sintoma de debilidade da planta a causa de algúm destes motivos. Por tanto, o primeiro passo é identificar o que estamos fazendo de errado para poder corregí-lo.

Como tratar e prevenir a praga de mosca branca?

A prevenção da praga de mosca branca se resume em fazer as coisas direito: uma rega adequada à planta e clima, um adobado orgânico sólido e de liberação lenta, se centrar ao calendário para semear na época recomendada, orientar correctamente nossa horta para obter horas de sol necessárias e principalmente elevar a biodiversidade, plantando o maior número de plantas possíveis e prestando atenção à compatibilidade entre elas. Isso fortalecerá a resistência da nossa horta perante qualquer tipo de pragas e doenças, possibilitando também uma maior variedade de bichinhos beneficiosos.

É importante também que vigiemos a horta com frequência, olhando o reverso das folhas, a fortaleza das plantas, etc. Haverá um menor risco de sofrer qualquer praga e a retirada manual será mais efetiva.

Lembre-se que o objetivo não é eliminar a mosca-branca, mas sim evitar que a nossa horta sofra muitos danos sem ter que usar inseticidas nem produtos químicos agressivos. Um pouco de mosca-branca não faz nenhum mal, e manterá as populações de joaninnhas que serão de ajuda.

Tratamentos contra a mosca branca

Se os métodos preventivos falham e as populações de mosca branca correm perigo de se descontrolarem, provavelmente temos que recorre a algum produto ecológico de proteção de pragas que ajude à planta a combater e eliminar a praga.

O ideal seria retirar a mosca branca de forma manual se tivermos poucas e muita paciência, pois é a técnica mais inócua, mas também a que dá mais trabalho.

Por tanto, um dos produtos mais eficientes na luta contra este insecto é o sabão potássico, com a propriedade de amolecer o exoesqueleto dos insectos, deixando-os bem fracos até morrerem, sem ser prejudicial para nossa saúde (já que é um produto natural).

Após haver usado o sabão potássico, aproximadamente uma hora depois, é recomendável aplicar piretrinas naturais, que é um insecticida natural que se extrai de flores como as dos crisântemos e age contra uma ampla gama de pragas como: mosca branca, minador, aranha vermelha, trips, pulgões, piolhos, escaravelho-da-batata, percevejo... A ação conjunta de sabão potássico e as piretrinas faz que o tratamento seja ainda mais efectivo.

A continuação, pode-se aplica também um produto de limpeza para eliminar o melaço, atraente extraordinariamente efectivo de fungos e bactérias perniciosas para a planta. Este produtos costumam, além de incluir desinfectantes que protegerão a planta, eliminarão os fungos e bactérias.

Outra opção também válida, é a utilização de produtos já preparados que são totalmente ecológicos e prevêem e combatem a maioria de pragas que podem nos atacar. Utilizam a técnica da homestase, que dilui um insecticida até o infinito deixando somente traços  do mesmo totalmente inócuo, porém efectivo na luta contra insectos. Também existem produtos baseados únicamente em essências vegetais protetoras.

Como solução caseira, o alho funciona muito bem. Se triturado e diluido em água, somente tens de aplicá-lo em toda a planta, sendo uma boa defesa contra qualquer tipo de insectos e fungos.

Podemos por a dissolução preparada em um aerosol para uma aplicação mais confortável.


a sua intenção não é má

A mosca branca não é "ruim", ela existe na natureza em consonância  e harmonía quando o homem não desajusta a balança. Então força! A natureza têm sempre muito a nos ensinar, e manter o equilíbrio ecológico da nossa horta pode ser um êxito digno de sorrisos mais que méritos.

Marca Planeta Huerto