O que é um sistema de rega?

Um sistema de rega é uma técnica utilizada para irrigar o nosso jardim ou pomar fazendo um uso sustentável da água sem a desperdiçar com a mangueira, por exemplo, e proporcionando a conveniência de não ter de estar in situ cada vez que se rega.

Um dos principais objetivos de um sistema de irrigação é ser eficiente, para isso, é realizado o zoneamento do local a irrigar. Ou seja, o jardim está dividido em diferentes sectores, conforme as espécies, condições e necessidades de água que têm. Desta forma, cada sector pode ser regado independentemente do outro com a quantidade e pressão de água que melhor lhe convier.

Como escolher um sistema de rega adequado?

Na Planeta Huerto ajudamo-lo a escolher o melhor sistema de irrigação que melhor se adapta às suas necessidades. Para que a sua escolha seja a mais adequada, deve ter em conta fatores como a categoria de jardim ou horta, o tamanho, o tipo de plantas e as suas necessidades de água, a qualidade da água, as condições climáticas, o solo, etc. Damos-lhe as chaves e informações de que necessita para fazer a escolha certa.

Vantagens de comprar um sistema de rega

  • Poupará água: visto que são sistemas de poupança de água que são não só benéficos para o ambiente mas também para o crescimento das plantas, pois fornecem apenas a quantidade necessária e de uma forma mais uniforme; para o solo, pois não causam erosão; a aplicação de fertilizantes é mais eficiente através de um sistema de irrigação...
  • Notará uma poupança económica: significa também uma poupança importante a longo prazo em termos da água que consumiríamos para regar o nosso jardim ou pomar no caso de não utilizarmos um sistema de irrigação.
  • Para além de uma economia de tempo e esforço: pode pôr em prática o programador que fará com que as suas plantas possam ser regadas sem ter de estar fisicamente presentes.


Como funcionam os sistemas de rega

  1. Temporizador programador:este é um dispositivo ligado à torneira que lhe permite definir o momento em que o seu jardim ou horta será regado e por quanto tempo.
  2. Filtro: um objeto poroso que evita o entupimento por sedimentação de partículas de sujidade na água.
  3. Válvulas intermédias e peças de ligação e fixação: são colocadas no início de cada fase de rega e permitem a passagem da água para irrigação.
  4. Tubos: Condutas de PVC através das quais a água flui antes de ser distribuída pela área de irrigação: jardim, horta, vasos de flores, etc. Há diferentes diâmetros, dependendo da utilização que lhe vamos dar.
  5. Aspersores/difusores ou gotejadores:os sistemas ligados a cada tubo permitem a saída da água. No caso de aspersores, por exemplo, para regar um jardim com erva e gotejadores, para uma horta ou vasos.

Também é possível acrescentar:

Dispositivo de fertirrigação: sistema para poder adicionar fertilizante dissolvido na água de irrigação.

Redutor de pressão: sistema que reduz a pressão da água, poupando assim este valioso recurso e também na manutenção do sistema de rega, pois uma pressão excessiva poderia danificar os gotejadores.

Categorias de sistemas de rega

Rega por aspersão e nebulização

A rega por aspersão é recomendada para grandes relvados e a nebulização pode ser usada para refrescar ambientes. 

  • Aspersores: São sistemas cuja função é espalhar ou dispersar a água, ou fertilizantes de irrigação em gotículas muito finas, de modo a atingir toda a área de irrigação. Microaspersores: São sistemas de aspersão para fornecer irrigação utilizando gotas mais finas do que os aspersores. Têm um deflector rotativo para proporcionar uma maior cobertura.
  • Foggers (nebulizadores)estes sistemas de aspersão consistem na utilização de água pressurizada que sai de um pequeno buraco para produzir uma espécie de nuvem ou névoa muito fina.
  • Sistema Micro Drip: a marca Gardena patenteou o seu próprio sistema. O mais inovador é que tem uma tecnologia de ligação de tubos chamada "Quick&Easy", muito fácil de montar e desmontar. Estas são ligações de tubos permanentemente seladas.



Rega gota-a-gota

Este tipo de irrigação é o que nos permite poupar mais água, pois não utiliza pressão e impede a evaporação da água.


  • Autocompensadores: Estes sistemas são adequados para circuitos longos (mais de 25m) consistem em manter um fluxo fixo, equilibrando as alterações de pressão que ocorrem em todo o sistema.
  • Fluxo constante: Este tipo de sistema fornece sempre a mesma quantidade de água. São os mais baratos e fáceis de instalar.
  • Ajustáveis: Estes sistemas são aconselháveis para plantas em crescimento ou para aquelas que estão muito expostas a mudanças de temperatura, pois o caudal pode ser ajustado e pode fornecer até 60 litros de água por hora.
  • Sistemas recirculados: este sistema consiste na recirculação de água através de uma técnica chamada hidropónica. Isto provoca a optimização da utilização da água, reutilizando-a para que, após tratamento, possa ser reutilizada para irrigação.
  • Tubagem com gotejadores integrados:  este tipo de sistema é mais fácil de instalar, mas requer um nível de manutenção mais elevado.
  • Com reservatório: Esta é uma opção muito boa se não tivermos acesso a uma torneira.

Rega por exsudação


  • Tubagem porosa: Este tipo de sistema consiste em tubos sem gotejadores. Não precisam deles porque têm uma espécie de buracos ao longo de todo o mecanismo que trazem água para toda a área de irrigação. Uma das vantagens deste tipo de sistema é que podem ser utilizados em pomares ou jardins com plantas com pouco espaço de separação. Além disso, os tubos podem ser enterrados para que a água vá diretamente para as raízes, poupando a água perdida por evaporação.

Rega hidropónica

São sistemas em que as raízes das culturas recebem uma solução já preparada com os nutrientes e a água necessários para o seu crescimento. Normalmente usado em agricultura profissional, pois os sistemas hidropónicos normalmente requerem alto investimento inicial e constante monitorado técnico.