Antigamente, foi a necessidade que motivou as famílias a ter uma horta em casa. Desde alguns anos atrás que esta atividade tem sido relacionada mais ao lazer, mas ainda há muitas dúvidas sobre o que é necessário para criar uma horta. A Planeta Huerto dir-lhe-á quanto tempo, dinheiro e espaço é realmente necessário para podermos colher a nossa própria comida.

Tempo

Um dos aspectos que afastam as pessoas que consideram montar uma horta é o tempo que se tem de lhe dedicar. A maioria acredita que é muito e que por isso não serão capazes de mantê-la.

A realidade é que escolhemos o tempo com base na disponibilidade que temos e no número de plantas que queremos colher. Pode variar entre cinco minutos por dia, uma hora ou mais ... Também temos a opção de semear por estações, como primavera e verão, ou primavera e outono.

E quais são as tarefas diárias que uma horta requer? Basicamente, regar e retirar as ervas daninhas. Algumas vezes teremos que preparar o solo para plantar as sementes ou encontraremos uma praga / fungo que teremos de combater pela poda e aplicação de algum produto.

Espaço

Outra razão que afasta algumas pessoas é que elas não acreditam que tenham espaço suficiente para cultivar. A realidade é que uma pequena varanda, um pátio, jardim ou um telhado será suficiente. Se for uma varanda, deverá pensar na orientação do sol que recebe, já que as plantações devem ser expostas a um mínimo de 6 horas de luz solar.

Por outro lado, o cultivo no telhado tornou-se moda nas capitais de grandes cidades como Nova York e Londres, embora seja uma opção que requer um processo mais complexo de preparação.

A opção mais fácil, se é um principiante, é plantar um quadrado de 3 metros por 3 metros num jardim / pátio: é o lugar mais confortável para montar a horta e ampliá-la se necessário.

Dinheiro

Outro aspecto que causa muita dúvida é o dinheiro. Muitas pessoas acreditam que é mais caro criar a sua própria horta do que comprar no supermercado.

Sim, é verdade que requer um investimento inicial para a montar, já que precisamos de ferramentas de qualidade, um sistema de irrigação, matérias-primas, fertilizantes e outros produtos ...

Apesar destas despesas, está provado que, no longo prazo, estamos a embaratecer a nossa cesta de compras habitual.

Este pequeno esforço diário será compensado com as múltiplas vantagens de ter uma horta em casa:

  •  Ajuda-nos a combater o stress diário: muitos consideram a jardinagem uma terapia.
  •  Do mato ao prato: o alimento contém todas as suas propriedades naturais, dura mais tempo no frigorífico e o seu sabor é incomparável ao que vem de um supermercado.
  •  Uma vida mais saudável: controlamos o que comemos, sabemos que são alimentos 100% naturais, pois não contêm pesticidas ou produtos químicos. Além disso, comer comida natural ajuda-nos a ter bons hábitos alimentares.
  •  As crianças ficão mais dispostas a comer legumes e frutas, uma vez que estão familiarizadas com estas desde que são pequenas.
  •  Não só nos sentimos mais saudáveis por comer melhor, mas manter uma horta também implica exercício físico, e fazemos isso sem nos apercebermos.
  •  Aprendemos a ser responsáveis ​​e pacientes: manter uma horta implica ser constante, isso requer responsabilidade e muita paciência para obter os resultados que esperamos.
  •  Cria momentos familiares: as crianças podem ajudar escolhendo as culturas ou regando-as.
  •  É uma ferramenta de consciencialização: os pequenos, e não tão pequenos aprendem a origem dos alimentos, bem como as coisas da natureza que não conheciam. É uma boa maneira de fortalecer os laços com o campo e contribuir para uma melhor sustentabilidade do planeta.


A chave para poupar tempo, espaço e dinheiro é o planeamento: cultivar apenas o que vai consumir, trocar sementes (em pacotes, vêm em grandes quantidades) ou partilhar as suas colheitas com os seus amigos mais próximos. Para realizar um bom planeamento, deve ler muito sobre o cultivo e inclusive, se puder, perguntar às pessoas com experiência.

E sabe qual é a associação favorável entre culturas? Antes de começar a preparar a terra, deve-se certificar da localização de cada cultura pois há plantas que se disfrutam de sinergias ao serem plantadas juntas enquanto outras se prejudicam umas às outras.

Recomendamos que, se for um principiante, escolha plantas produtivas e resistentes e, se possível, da sua área.

Tenha em mente que às vezes não teremos os resultados esperados, mas lembre-se: o jardim não é uma obrigação, apenas aproveite que no final todo trabalho tem seus frutos.