Fazer que germine uma semente não é uma tarefa tão simples como parece. Se erramos em algum dos rrequisitos que necessita ou não consideramos como importante alguns fatores, nossa planta não germinará. Em Planeta Huerto contamos-te o que tens de saber para evitar que isto aconteça.

Sobre o clima e a irrigação

Geralmente uma semente não pode germinar em uma temperatura inferior a 15ºC ou superior a 50ºC, mas cada espécie tem seu próprio intervalo: há de estar muito atento porque este fator é fundamental no desenvolvimento do cultivo. As estufas ajudam a conservar o calor em épocas de temperaturas baixas. Se o que queremos é proteger do calor, plantaremos em lugares onde não bata o sol todo o dia ou utilizaremos uma rede sombreadora. Também há de considerar as necessidades de luz de cada espécie, é claro.

Algumas sementes precisam de frio: ponha-as no frigorífico com o substrato, como se as tivesses plantado em um sementeiro, e deixe-o húmido de vez em quando, durante um mês ou dois. Este processo chama-se vernalização, e é útil se passou-se a época de semeada de alguns culttivos como os morangos. A alternativa à esta opção é plantá-las em outono, no momento em que semeia-se a maior parte das espécies. Cada semente tem sua época para semear-se e isso há de ser respeitado para ter certeza de que prosperarão.

O segredo é regar dia a dia para manter a terra húmida, mas não podemos exceder-nos: a irrigação não pode ser nem abundante nem escassa. Um truque muito rápido para controlar isto é introduzir um dedo no substrato até a metade. Se a ponta está seca, há de regar-se urgentemente; se está húmida, estamos fazendo as coisas corretamente. Um programador de irrigação sempre é um bom aliado para manter a humidade constante: neste artigo explicamos-te como escolher o que melhor se adapta às tuas necessidades.


Sobre o solo

A lavoura é o primeiro passo para conseguir um cultivo próspero: ao remover a terra, afrouxam-se as capas superficiais, que reterão melhor a humidade e pertirião a circulação de oxigénio de forma fluida. Dependendo da extensão da horta, poderemos fazê-lo com motoenxada ou à mão, com ferramentas de cabo comprido. Em lugares áridos, quanto mais trabalhemos a terra, melhor se desenvolverão as plantas, pois elas irão absorver melhor a água. Importante: deve-se lavrar em lugares húmidos antes da época de chuvas, ou a terra se convertirá em barro e não poderemos cultivar adequadamente.

Se temos uma horta urbana, o primordial é escolher corretamente o tipo de susbtrato. Aqui te explicamos tudo o que precisar saber sobre os substratos.

E o que acontece se o solo não tem drenagem suficiente ou não se areja? O mais provável é que a semente apodeça ou que os fungos ataquem à planta, pois eles são atraídos pela humidade. Para evitar que isso ocorra, guíe a água até onde te interesse: modela as pendentes, nivela o terreno ou cria um canal para que a água não se acumule.

É essencial que as sementes sejam plantadas na profundidade adequada, para garntir o correto desenvolvimento do talo e do sistema radicular.

Também é importante que o pH oscile entre 5.5 e 7, dependento do solo que precise cada espécie. Para calculá-lo, podes utilizar um medidor: se é muito ácido, adicione cinzas de madeira natural (como por exemplo as que sobram de uma churrasqueira). Se é muito alcalino, adicione matéria orgânica, ou a borra de café! Existem muitos resíduos de casa que podem ser aproveitados em nossa horta.


Devemos considerar o tipo de solo que cada semente precisa:

Terras francas

As terras francas são ideais pois são soltas, fértis e retém bem a humidade pela quantidade de argila que têm.

Terras argilosas

As terras argilosas estão compostas de partículas muito finas, têm uma drenagem mais pobre, demoram em secar-se e ficam endurecidas. Por tanto, são mais difíceis para trabalhar.

Terras arenosas

Nas terras arenosas tarabalha-se melhor porque são mais soltas e secam mais rápido, mas não retém bem a humidade e os nutrientes. Este problema pode solucionar-se adicionando estrume ou húmus.


Sobre a associação e rotação de cultivos

Temos de aproveitar ao máximo os recursos que temos: da mesma forma que existem cultivos que benefíciam-se entre sí porque tm diferentes necessidades, e inclusive podem se complementar, há outras combinações que prejudicam mutuamente seu desenvolvimento porque competem para conseguir os mesmos nutrientes. Um exemplo de uma boa associação são os aspargos com ervilhas e pepinos. Mas tem muitas outras: se queres conhecer mais sobre o assunto, poder ler o artigo sobre associar cultivos.


O que foi plantando antes neste solo? Alguns cultivos esgotam rápidamente a matéria orgânica, e outros geram mais da que consomem. Desta forma, podemos plantar um cultivo que requeira mais matéria, e quando já tenhamos feito a rotação na próxima temporada, vamos a poder semear neste mesmo terreno um cultivo mais exigente. Assim, aproveitaremos mais tempo o substrato, no caso de uma horta urbana, e evitaremos o empobrecimento da terra, no caso de ma horta grande. A rotação de cultivo ajuda-nos a economizar e também contribui à diversidade, pois cada espécie atrai algun insetos. Neste artigo, te explicamos como planificar as rotações na horta.

Sobre o tipo de semente e sua qualidade

Leia atentamente as instruções que aparecem atrás de cada pacote de sementes: cada semente requer uma profundidade e um espaço diferentes (distância de semeado entre sementes), tanto para germinar adequadamente como para desenvolver-se totalmente uma vez está crescendo.

Prova de germinação

Pegue várias sementes e ponha-as em uma tela previamente empapada e exprimida. Embrulhe-as e cobra tudo com papel alumínio para conservar a temperatura. Dexe-as em um lugar cálido e revise diariamente que não falta água. Depois de uns 8 dias observe quantas germinaram: se de 10, germinaram 7, a percentagem de germinação é de 70%.

Acelerando a germinação

Se queres acelerar o processo de germinação, dexe-as em um recipiente com água: 4 horas para as menorzinhas, e até 24 h para as maiores.

Sobre a conservação

A viabilidade e qualidade das sementes depende muito de são conservadas: tanto as espécies que compramos como as que recoletamos devem guardar-se em um lugar fresco e seco. Utilize um pote de vidro que esteja herméticamente fechado, e ponha-o em um sítio onde não receba luz solar e não tenha contato com a humidade. Também podes adquirir uma bandeja conservadora de sementes, onde as terás todas organizadas e classificadas.


Se considerarmos tudo isto, as plantas germinarão corretamente. Saiba que algumas demorarão um par de dias, e outras até mêses! Não se desespere: se cumpriste com nossos conselhos, com o tempo poderás desfrutar os cultivos.