A ONU estabeleceu o dia 5 de junho como o Dia Mundial do Ambiente para chamar a atenção para a necessidade de consciencializar e sensibilizar a sociedade sobre a situação ambiental em que nos encontramos e as ações políticas a serem aplicadas para reverter esse problema.

Todos os anos, a comemoração deste dia trata de um aspecto específico para chamar a atenção para uma questão premente. Este ano, o tema aborda a conexão das pessoas com a natureza, incentivando-nos a ir ao ar livre para apreciar a beleza da natureza e refletir sobre como somos parte integrante desta e o quanto dependemos dela.

Nesta linha de pensamento, o trabalho na horta ou no jardim é uma oportunidade para realizar uma atividade em contato com a natureza, que nos ajudará a entender o seu funcionamento e sentirmos-nos parte dela, sendo este o ponto de partida para a consciencialização

e desenvolvimento de ações para sua conservação.

A criação de uma horta, além de uma ser ferramenta terapeuta e educacional, implica uma série de benefícios que aumentam se o fizer seguindo as premissas da agricultura orgânica. Assim sendo, propomos 5 princípios para transformar o seu jardim numa horta biológica, como ação comemorativa em prol do Dia Mundial do Ambiente.

1. Evitar o uso de produtos químicos sintéticos, como inseticidas, fungicidas ou herbicidas, que possam contaminar o solo ou as águas subterrâneas.

Apostando na prevenção e nos tratamentos biológicos e potenciadores das defesas naturais das plantas, além de evitar problemas de poluição, também nos garante que vamos trabalhar num ambiente mais seguro devido à baixa toxicidade destes tratamentos. O nosso Guia sobre Pragas e Doenças do Jardim, é uma compilação sobre as práticas alternativas para implementar no caso de cada peste ou doença.

2. Use fertilizantes naturais

O uso de fertilizantes químicos com alto teor de nitrogênio leva a uma presença crescente na atmosfera do óxido nitroso, um dos gases de efeito estufa mais importantes.

A importância da fertilização deve-se à sua relação com a manutenção da boa saúde do solo da nossa horta com trazendo-lhe matéria orgânica e ao cuidado com a microfauna (vermes, bactérias, fungos benéficos, etc.).

3. Crie um espaço biodiverso

Quantas mais espécies diferentes forem encontradas na horta, ou seja, quanto maior a sua biodiversidade, mais estável será o ecosistema e menos desequilíbrios com o meio ambiente irão ocorrer. Portanto, é sempre de interesse ter várias culturas diferentes, misturá-las com plantas floridas e aromáticas, e até mesmo favorecer o aparecimento de fauna útil, que nos pode ajudar enquanto predadores das pragas mais comuns no jardim.

4. Economize água

É um recurso cuja gestão e uso são um dos problemas mais importantes em todo o mundo, por isso essa sensibilidade também deve ser levada em consideração no jardim, fazendo uso eficiente. Algumas orientações a seguir são o uso de espécies adequadas a cada área/clima, a reutilização da água da chuva ou a instalação de sistemas de irrigação, como a irrigação por gotejamento ou exsudação

5. Reciclar o lixo

A compostagem ou vermicompostagem é um exercício de reciclagem de matéria orgânica que pode ser feito tanto no jardim como em casa, através do qual os restos de poda e limpeza do jardim podem ser transformados para obter um fertilizante natural de excelente qualidade.